A Dimensão do Design no século XXI — A Ascensão do Design Parte 1

Definição e Desenvolvimento do Conceito de Design

Internacionalmente, já muito se falou e se fala sobre Design. Contudo, não sinto o mesmo quando procuro conteúdos dentro dos Mídias portugueses, ambos académicos ou lúdicos. Percebo que não temos (talvez ainda) uma enorme herança ou legado dentro da teorização da disciplina. Porém, isso não pode ser um entrave ou desculpa para não nos preocuparmos em falar e debater mais sobre o papel do design nas nossas vidas. Sentindo essa lacuna de perto, foi-me categórico a determinação em contribuir, com o que estivesse ao meu alcance, para moldar esse cenário. Assim, quase que por manifesto, decidi arregaçar as mangas e edificar este pequeno e simbólico estudo expondo as lacunas que o design enfrenta actualmente no panorama Português e inclusivamente internacional. Mas, acima de tudo, exaltar a opulência do design em toda a sua grandeza e magnitude em todos os campos da sua actividade.

Mas antes de nos aprofundamos dentro do assunto, é-me importante esclarecer duas situações. Primeiro, a principal ambição desta serie de posts é proporcionar um momento de introspeção e reflexão às pessoas que gostam e querem pensar sobre design; desde a sua história, o seu impacto e até mesmo as prospeções do seu futuro. Segundo, apesar destes posts serem dedicados há dependência entre Design e História e sua respectiva evolução e que impacto esta trajectória têm no presente e terá no futuro da disciplina, este posts não será mais um estudo de história do design. Pelo contrário, apenas pretendo a cima de tudo moldar a forma como os Portugueses e falantes de língua Portuguesa, na sua larga maioria, veem o Design hoje.

E porque é importante consciencializar os leitores para esta dualidade entre Design e História? De acordo com Fry et al (2015, p. viii) “A história do design tem falhado redondamente em reconhecer o significado histórico do design.”[1] Portanto, isto é um problema sério. Porque o que é projectado hoje, terá impacto no destino da humanidade num grau significativo. Para eles, no cerne deste argumento está o reconhecimento de que, na complexidade profunda do mundo moderno, há uma necessidade crescente de uma compreensão da presença do passado. História, como passado, é sempre uma construção do presente. Um pouco cliché, mas certamente que compreendendo o passado podemos retirar lições para o futuro.

[1] (2015, p.viii) “Design history dominantly fails to recognize the historical significance of design.

References

Fry, Tony. 2015. “Whither Design / Whether History.” In Design and the Question of History, 1st ed., 320. Bloomsbury Academic.

Passionate about Human-centered AI and UX researcher. Experience Design Lead @Emergn https://www.jcerejo.com https://linkedin.com/in/jcerejo

Get the Medium app

A button that says 'Download on the App Store', and if clicked it will lead you to the iOS App store
A button that says 'Get it on, Google Play', and if clicked it will lead you to the Google Play store